A regra das instruções

01.11.12

Espera sete dias. Depois (….) dir-te-ei o que deverás fazer
I Sm 10, 8

 

Quando Samuel acaba de indicar que certos eventos serão despertados na vida de Saul como consequência da acção do espírito na vida dele, o mestre ordena que Saul deveria aguardar um certo prazo , e depois obedecer ás instruções do mestre.



Saul assim fez. Fê-lo e assim se tornou Rei, contra todas as probabilidades. 



Em resumo:


As escrituras revelam claramente através de estas 6 regras da consulta de Saul a Samuel, que há que em ultima consequência que respeitar 3 mandamentos num trabalho espiritual:

1- Aguardar pelo cumprimento dos eventos que os espíritos farão despertar na vida de uma pessoa

2- Observar o prazo que o mestre determinar

3- Seguir fielmente as instruções que foram facultadas pelo mestre

As escrituras revelam que assim fazendo, um processo espiritual pode operar milagres.

tags:
publicado por adm às 20:26

A regra dos eventos despertados pelos trabalhos espirituais

01.11.12

Hoje, quando saíres daqui, encontrarás dois homens junto ao tumulo de Raquel (….) Prosseguindo o caminho, chagarás ao carvalho do Tabor, e então encontrarás três homens que sobem para o santuário de Deus em Betel, um levando três cabritos , outro três pães, e o terceiro com uma vasilha de vinho. Eles vão cumprimentar-te e oferecer-te dois pães. (….) Entrando na cidade, encontrarás um grupo de profetas (….) profetizando (…) Quando esses sinais se realizarem, faz o que achares melhor, porque Deus estará contigo (….)E todos esses sinais aconteceram
I Sm 10, 2-9

 

Uma vez consultado, Samuel indica que um conjunto de eventos será despertado na vida de Saul, e que esses eventos sucederão de forma a que o rumo de vida de Saul seja novamente traçado, a fim que um destino desejado seja alcançado. Samuel, ordena assim que Saul observe os eventos desenrolarem-se na sua vida, pois os eventos que Saul vai começar dali em diante a observar, atestarão que o espírito esta actuando na sua vida. Assim também deve fazer quem inicia um processo espiritual: observar serenamente os eventos que se são desenvolver, pois eles levarão aos novos rumos que estão a ser construídos.

tags:
publicado por adm às 20:25

A regra do silencio e do sigilio

01.11.12

Diz ao empregado que vá á frente. Quanto a ti, espera um momento, para que te comunique a palavra
I Sm 9, 27

 

Sabemos das anteriores passagens deste livro sagrado, que foi o empregado e amigo de Saul que o ajudou a consultar Samuel, pagando a consulta com uma moeda de prata.
No entanto, sem olhar a quem pagou a consulta, o mestre Samuel pede a Saul que o seu amigo e empregado se afaste quando se trata de lhe revelar as verdades que os espíritos tem para oferecer.
Isto revela que a verdade resultante da consulta aos espíritos deve de ser revelada apenas ao próprio e a mais ninguém.
A revelação é pessoal e não pode ser dada a conhecer a mais ninguém, pois os espíritos actuam invisivelmente, em silêncio e em segredo, pelo que a invisibilidade, o silêncio e o segredo dão a regra que garantem o cumprimento das suas acções.
Revelar a outrem aquilo que foi a consulta de um mestre, é invalidar a ajuda dos espíritos que operam através dele.
Quem consulta um mestre, apenas para depois divulgar ao mundo que o consultou ,( por vezes injuriando-o), não espere resultados positivos nem grite «injustiça», pois desse mestre não verá boa ajuda.
Conservai do mestre apenas 3 coisas:
a consulta, o mestre, e as suas revelações… em segredo;
Se o fizerdes, os espíritos actuarão.

tags:
publicado por adm às 20:24

A regra de consulta aos mestres espirituais

01.11.12

A regra de consulta aos mestres espirituais

 

Podemos ir. Mas que vamos oferecer a este homem? Não temos nada para oferecer (….) O empregado respondeu: Tenho aqui uma (….)moeda de prata.Vou oferece-la ao homem(….) e ele dar-nos-á uma orientação
I Sm 9, 7-8

 

Nesta passagem, verificamos que Saul não deseja consultar o vidente sem ter algo que lhe possa oferecer. Pior: Saul verifica que não tem nada para oferecer ao vidente em troca da sua ajuda. A este dilema, o seu empregado e amigo responde que possui algo que oferecer ao vidente, e oferece-se para ajudar Saul na consulta ao mestre.

Isto revela duas coisas:

Primeiro: Sobre a honestidade de quem procura um mestre de espíritos:

Quem procura a ajuda dos espíritos, deve ter respeito por aquele que trabalha com os espíritos. O respeito traduz-se na oferenda, pois oferendar aquele que ajuda, é como oferendar os espíritos que ele serve, e é por tudo isso uma demonstração de crença e de fé. Saul foi honesto quando desejou consultar o mestre, desejando pedir os seus serviços, contudo verificando que não tinha nada para oferecer ao mestre ficou com receio de o visitar e pedir-lhe auxílio. Isso demonstra que Saul estava actuando com um espírito de honestidade e fé, assim como revela que a oferenda feita a um mestre deve ser feita com confiança, respeito, fé e honestidade, e não como quem compra um bife num talho.

Esta escrito que «a fé (…) é o meio de conhecer realidades que não se vêem», ( Hebreus 11,3) , e por isso, a quem diz a um mestre:
«acreditarei apenas quando vir, por isso oferendar-te-ei apenas depois de ver»,

o mestre responderá apenas:

«Vereis apenas quando acreditares, e se oferendares é prova que tiveste fé».
Quem procura um mestre com desdém e desconfiança, nada mais levará senão mau resultado e igual desdém, pois por via desse mestre os espíritos darão aquilo que receberam.
Quem procurar um mestre com confiança, fé e honestidade, receberá ajuda verdadeira, pois por esse mestre os espíritos oferecerão um remédio de verdade.

Segundo: Sobre o que há a oferecer a um mestre de espiritos:

Verificamos também nesta passagem que quando julgamos que não temos aquilo com que oferendar a um mestre para o consultar e resolver os nossos problemas, há sempre quem nos ajude nessa oferenda, pois há sempre quem nos ajude a encontrar solução para os nossos problemas. Basta querermos e lutarmos, que a ajuda de um mestre virá sempre a nós, desde que não fiquemos de braço cruzado chorando pelo leite derramado.

publicado por adm às 20:20

Regra sobre a missão dos mestres espirituais

01.11.12


Regra sobre a missão dos mestres espirituais

O empregado porem sugeriu: Olha, na cidade vizinha há um homem (…) muito famoso.Tudo o que ele diz, acontece de facto. Vamos até lá. Quem sabe? Talvez ele nos possa orientar sobre o caminho que devemos de seguir
I Sm 9, 6

 

Nestes versos, verifica-se que Saul se encontra num momento complicado da sua vida, sem saber o que fazer. Perante o problema, o empregado de Saul sugere-lhe que visitem um vidente que os ajude a encontrar solução para o problema.
A passagem demonstra que a função do profeta e do mestre espiritual é dar orientação quanto aos caminhos a seguir, de forma a que se possam conquistar os objectivos que se desejam.
Quando queremos ir para algum lugar, mas estamos perdidos, há que procurar quem nos indique o caminho certo, o caminho que nos leve a esse destino a que desejamos chegar.
O mesmo se passa quando desejamos algo na vida: por vezes parece que tudo está perdido e é impossível obter aquilo que se quer; no entanto, se alguém nos indicar o caminho certo para conquistarmos o que queremos, poderemos lá chegar com sucesso, ao invés de andarmos perdidos.
Um mestre espiritual não faz cair do céu os desejos de quem sofre, ele antes faz abrir os caminhos para que esses desejos se cumpram. Quem procura um mestre, não deverá pensar que vai ficar de braço cruzado esperando que a solução lhe bata á porta; Antes deverá procurar no mestre a orientação e as revelações que indiquem os caminhos certos a percorrer para que se conquiste a solução de um problema.

publicado por adm às 20:17

A regra da conduta mediante os mestres espirituais

02.02.10

Samuel respondeu: «Sou eu, o vidente. Sobe á minha frente até a lugar alto. (….) Vou resolver a questão que te preocupa. Não te preocupes com as jumentas que perdeste (…)» Saul respondeu: «Eu sou de Benjamin, a menor das tribos de Israel»
I Sm 9, 19-21

 

No decorrer da conversa entre Saul e Samuel, ambos falam sobre o que sucedeu e que ali levou Saul.

Pois Saul que o consultou, é totalmente honesto sobre si mesmo no diálogo que mantêm com o mestre.
Isto revela que quem procura revelações junto de um mestre, tenha em atenção a seguinte regra:
Quem diz a verdade a um mestre, dele receberá a verdade, pois por ele os espíritos revelarão verdades.
Quem mente a um mestre, dele apenas receberá mentiras, pois por ele os espíritos responderão com igual mentira.
Entrega ao mestre, aquilo que quiseres receber dos espíritos:

* entregais verdade e recebereis solução,

* entregais mentira ou desdém, e recebereis engano ou contradição.

tags:
publicado por adm às 20:23

pesquisar

 

arquivos

2012
2011
    2010

    links

    subscrever feeds